Angelina Jolie - Assunto da Semana


A atriz Angelina Jolie, na terça-feira (14) revelou a todos, através de um artigo titulado de “Minha escolha médica" no Jornal New York Times, que submeteu-se a uma cirurgia de dupla mastectomia preventiva (a retirada dos seios). Angelina, 37 anos, acompanhou a luta contra um câncer no ovário de sua mãe, a atriz Marcheline Bertrand, durante quase uma década, a qual veio falecer em 2007, aos 56 anos.


Simbolo sexual – mulher fatal – que virou modelo de sensualidade e não hesitou em tirar os dois seios para prevenir o câncer de mama. Após descobrir ter um defeito no gene chamado BRCA1, onde os médicos disseram que ela tinha 87% de chances de desenvolver câncer de mama e 50% de ter um câncer no ovário.

Atriz, a qual gosto de ver nas telas por sempre fazer papeis marcantes, desde a destemida aventureira Lara Croft em Tom Raid (2001) a Christine Collins, uma mãe desesperada a procura do seu filho em A troca (2008). Mas com certeza ninguém esquece a sua atuação em Sr. & Sra. Smith (2005). Mãe de seis filhos, dos quais três filhos são adotivos, Maddox, Pax, e Zahara, e três são filhos biológicos, Shiloh, Knox e Vivienne (do seu relacionamento com o ator Brad Pitt.), Angelina espera que a sua revelação sirva de exemplo para que outras mulheres com risco de câncer não sintam medo de enfrentar a situação.

Segundo especialistas a cirurgia preventiva não é um procedimento de urgência. "Não é uma decisão fácil. Primeiro porque não significa uma cura. E, depois, porque há efeitos colaterais, então é preciso fazer avaliações de longo prazo. A mama fica fria, perde o tato. Muitas mulheres se queixam de insatisfação sexual", afirma Carlos Alberto Ruiz, presidente da Sociedade Brasileira de Mastologia. O mastologista ainda ressalta que a reconstrução não restabelece a sensibilidade, somente a estética. “A mulher não tem mais como amamentar, então é preferível que seja após a prole já estar constituída", complementa.
Apesar disso, o método deve ser encarado como opção, afinal é o único capaz de reduzir em até 95% a probabilidade para o desenvolvimento do câncer em portadores da mutação.Outro fato de relevante importância é a capacidade da atriz auto-superar-se, bem como a de elevar-se acima da vaidade pessoal, do mito, em favor da vida.

Fonte:



Postagem mais recente Postagem mais antiga