Como escolher o berço para o bebê




O berço para o bebê é o tipo de coisa que não há como abrir mão. Se você está para ter um filho, obrigatoriamente precisará de um. Escolher o berço do bebê parece uma tarefa simples, porém deve ser realizada com muita cautela, pois além de ser o item principal do quarto do bebê, é neste lugar que o seu filho vai passar muitas noites de sono, principalmente quando for recém-nascido, que dorme cerca de 15 horas por dia. Mas calma, não precisa entrar em pânico... basta prestar bastante atenção aos detalhes que envolvem segurança e conforto; os demais fatores são secundários.

A estrutura do berço é um fator importantíssimo. Ela deve ser forte, justa e muito bem acabada. O material, seja plástico, metal ou madeira, deve estar com a superfície lisa e com os cantos arredondados, sem deixar rebarbas e farpas arrepiadas. Na hora da compra, mexa no bercinho, sacuda-o um pouco para ver se há folga na junção das partes e se faz barulhos que durante a noite podem atrapalhar o sono do bebê.

A altura do berço também deve ser analisada com cuidado. O colchão não deve ficar muito baixo para não prejudicar a coluna dos adultos, mas também deve ter uma distância mínima até o fim das grades, de modo que o bebê, quando aprenda a ficar de pé, não corra o risco de cair do berço, pendurando-se em suas grades.

Agora atenção, crianças com características hiperativas precisam de mais segurança na hora da escolha de seu cantinho para dormir. Desde bem pequena, elas se manifestam bem agitadas e inquietas, e esse fator deve ser levado em consideração na hora da escolha de um berço. Não há como prever se o seu bebê será ou não uma criança hiperativa: o que vale é a prevenção, pois segurança nunca é demais.

Existem vários critérios a se considerar. Um deles é o tamanho do móvel. O mais comum segue o padrão americano: 1,30 m de comprimento por 70 cm de largura. Mas, atenção: essa medida se refere apenas à parte interna do berço e serve de referência para o colchão. Com a grade ou outros acessórios, o móvel pode ultrapassar a medida de 1,50 m por 80 cm. Esse é um dado importante a se considerar, principalmente quando há pouco espaço disponível no quarto. Uma opção ligeiramente menor é o berço nacional, cujo padrão tem 1,30 m por 60 cm.

Além da qualidade e dos itens de segurança dos móveis, existe outro fator relevante: nos dias que hoje que é a questão do problema de refluxo nos bebês. É grande os riscos de engasgos durante os 3 primeiros meses de vida e o berço tem sua importância nesse processo de prevenção. O berço com sistema anti-refluxo permite a elevação do colchão na cabeceira. Isso é ótimo para evitar a regurgitação comum nos primeiros meses de vida do bebê. No entanto, ele não é imprescindível. Se o bebê for diagnosticado com o problema do refluxo, os pais podem comprar um travesseiro específico para isso ou elevar os pés da cabeceira do berço em 30 grau: daí a importância de um móvel de qualidade.

O berço não deve ser escolhido pela beleza, mas principalmente pelo conforto e segurança. Por isto, a primeira dica é verificar se o berço está de acordo com a norma técnica do Inmetro, que determina requisitos de segurança para o móvel NBR:15.860/10. Sobre a funcionalidade do berço, selecionei três modelos de berço bem úteis para várias etapas do bebê: 

Berço funcional (que já vem com a cômoda)
  
 
 

 Berço padrão Americano

 
 

Berço-cama. 




 
 
Postagem mais recente Postagem mais antiga