Dia Internacional da Mulher


Em 8 de março de 1857, na cidade de Nova York, operárias ocuparam uma fábrica e começaram a reivindicar melhores condições de trabalho. A manifestação foi reprimida com  violência. As mulheres foram trancadas dentro da fábrica, que foi incendiada. Aproximadamente 130 tecelãs morreram carbonizadas, num ato totalmente desumano. Porém, somente no ano de 1910, durante uma conferência na Dinamarca, ficou decidido que o 8 de março passaria a ser o "Dia Internacional da Mulher", em homenagem as mulheres que morreram nessa fábrica. Mas, somente no ano de 1975, através de um decreto, a data foi oficializada pela ONU (Organização das Nações Unidas)

Nos passar dos anos as mulheres obtiveram várias conquistas. Porém nos dias de hoje a luta  é com uma doença, que assusta a todos. O numero de mulheres doentes com câncer, segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde) é alarmante. De acordo com agência Internacional de Pesquisa em Câncer (IARC) as taxas globais de câncer saltaram para mais de 14 milhões no ano passado, com 1,7 milhão de mulheres diagnosticadas com câncer de mama, um aumento de 20% desde 2008, enquanto a taxa de mortalidade subiu 14% nesse período de tempo, com 522 mil mortes em 2012. Segundo David Forman, chefe da Seção de Informação sobre Câncer da IARC, a doença também está afetando mulheres em países menos desenvolvidos porque “uma mudança no estilo de vida está causando um aumento na incidência e, em parte, porque os avanços clínicos para combater a doença não estão alcançando as mulheres vivendo nessas regiões”.  

No Brasil, segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), a doença é a segunda causa de morte natural no Brasil. Encontramos cinco tipos de câncer que mais atingem as brasileiras :

DE MAMA
É o mais comum entre as mulheres e o segundo mais frequente no mundo. Para se ter uma ideia, foram registrados mais de 52 mil novos casos só no ano passado. E no Brasil muitas mulheres ainda morrem porque descobrem a doença muito tarde, sendo que o  autoexame e a mamografia anual depois dos 40 anos são fundamentais para descobrir nódulos em estágios iniciais e menos complicados de tratar.

DE TIREOIDE
As mulheres são as maiores vítimas: o tumor nessa glândula, que controla inúmeras funções do metabolismo, é três vezes mais frequente no sexo feminino.
DE COLO DE ÚTERO
É o segundo tipo mais frequente entre as brasileiras. O principal responsável é o HPV, vírus transmitido principalmente por meio de relações sexuais. A detecção é feita pelo papanicolau, exame realizado pelo ginecologista. E a prevenção é simples: vacina contra o vírus e sexo seguro.
DE CÓLON E RETO
É curável na maioria dos casos, principalmente se detectado cedo (por exames de fezes e colonoscopia). Mulheres com mais de 50 anos têm maiores chances de desenvolver a doença. Mas não significa que quem é jovem não precisa se cuidar.
DE PULMÃO
O câncer de pulmão é o terceiro com maior ocorrência entre os homens no Brasil e antigamente era raro nas mulheres. Hoje já ocupa o quinto lugar em incidência em mulheres.
Segundo os especialistas, a maior parte dos tipos de câncer pode ser evitada. Prevenção, no caso do câncer, significa mudança nos hábitos de vida. 
- Tenha uma alimentação com menos gordura e alimentos industrializados e mais frutas, grãos, legumes e verduras. Não fume.
- Evite o consumo de álcool.
- Pratique atividade física.
- Tenha acompanhamento médico regular.
- Conheça seu corpo: faça o autoexame de mama e fique atenta aos sinais que seu corpo dá de que alguma coisa não vai bem.


Postagem mais recente Postagem mais antiga

0 comentários. Clique aqui para comentar.:

Postar um comentário