Azia na gravidez

23 julho 2015




Com certeza você já ouviu sua mãe, avó ou tia falando que ter azia durante a gravidez é indício de que o bebê vai nascer com muito cabelo? Essa crença popular é comumente repetida por aí e se tornou quase uma verdade absoluta, mas será que essa afirmação tem algum fundamento? Levando em consideração as minhas gestações, digo que é mito. Pois sofri, e sofro com a azia durante a gravidez. E tanto Serginho, como Aninha, nasceram carequinhas.

Mas o que é que a AZIA, o que a provoca e o que fazer para diminui-lá?

Azia é uma sensação de queimação vinda da parte de trás do esterno, um osso localizado na parte anterior do tórax. Ela causa uma dor que às vezes sobe pelo peito e pode se irradiar para o pescoço ou a garganta.

A azia é uma queixa bastante comum na gravidez, principalmente no terceiro trimestre. Ocorre devido às modificações corporais da mulher, que facilitam o retorno de conteúdo do estômago para o esôfago, causando a sensação de queimação.

A grande maioria das gestantes sofre com queimação gastroesofágica, principalmente nas fases mais avançadas e próximo ao parto. Novamente as modificações corporais que ocorrem, contribuem para a piora do sintoma.

Por que isso ocorre?

Relaxamento da válvula do esôfago – o aumento da progesterona causa relaxamento da musculatura lisa esofágica. Provoca diminuição da pressão de fechamento do esfíncter inferior do esôfago e aumento do refluxo gastroesofágico.

Crescimento do útero – aumenta a compressão do estômago, bem como a pressão intra-abdominal. Ambos aumentam a quantidade de secreção estomacal que retorna ao esôfago. São mais intensos em mulheres com sobrepeso e com história de Doença do Refluxo Gastroseofágico antes da gestação.


A secreção estomacal que retorna é bastante ácida e causa lesão no esôfago, com sensação de queimação.

Imagem
Imagem: Giftrunk.com
Mesmo sendo inofensiva na gravidez, a azia pode ser controlada pela gestante através da alimentação. por tanto , portanto a mudança nos hábitos alimentares e na rotina pode ajudar na prevenção da azia. Evite alimentos gordurosos como frituras, alimentos ácidos ou pratos muito fortes ou condimentados. Procure comer pratos mais saudáveis. Comer diversas vezes ao dia, mas em pequenas porções, uma dica muito importante é mastigar muito bem os alimentos. Passar longos períodos em jejum aumenta as chances de azia. Isso acontece porque, quando uma pessoa fica sem comer, o ácido gástrico se acumula e pode refluir, irritando o final do esôfago. Comer a cada três horas mantém o sistema digestivo em funcionamento, sem sobrecarga na produção de ácido gástrico.


Dê preferência às frutas de melhor digestão, como o mamão, banana, pera, maçã, pêssego e uvas. Procure deitar pelo menos duas horas depois das refeições e ao deitar-se um encosto na cama de modo a ficar numa posição semi- sentada, dessa forma os ácidos que se encontram no estômago são mantidos lá, evitando subir para a boca.


Realizar atividades físicas e agregar na alimentação diária frutas e legumes são formas preventivas da doença.


Fonte:

Mundo das Mulheres
Babycenter
Dr. Drauzio Varella
Saúde Medicina




Topo