Grávida do terceiro filho, e agora!

26 março 2015


Fiquei na duvida se colocaria um ponto de interrogação ou exclamação no final da frase. Mas no meu caso foi espanto. Misturado com medo, pois para mim, ter o terceiro filho seria como assinar o próprio atestado de insanidade.


Como essa é tecnicamente a minha 4ª gestão, andava desconfiada com as mudanças no meu corpo: minhas unhas ficam resistentes, os seios ficam com uma espécie de queimação e os cabelos mais sedosos. Porem um sonho que a minha sogra teve e contou ao meu marido, fez com fizesse o teste de farmácia, mesmo sem confirmar o atraso menstrual (faltavam dois dias para completar o meu ciclo). Confirmada a gravidez bateu o desespero, nunca sonhei/desejei ter três filhos, confesso que fiquei com muita raiva do meu marido, pois tínhamos conversado e ele havia prometido fazer a vasectomia. Peço perdão a Deus, mas pensei/desejei que a gestação não vingasse como a segunda.


Resolvi contar para as pessoas mais próximas e a reação delas é muito inusitada – ao contrário do que eu esperava. Aguardava ouvi um Você é louca “!” ou “?” ter três filhos nessa atual conjuntura econômica do país, ou algo do tipo você com dois está com a vida limitada imagina só agora com três? Mas não, recebi as mesmas palavras de apoio das gestações anteriores, eles se empolgaram, eram só alegrias e o famoso parabéns, vai ser a mamãe do ano.


Resolvi contar para colegas de trabalhos e anunciar no facebook. Para meu espanto 99% foram parabéns e palavras acolhedores. Porem descobri que o medo, e ate a falha de torcer para não dar certo, aconteceu também com algumas amigas minhas que tem o terceiro filho. Isso aliviou um pouco o meu coração.


Agora o terceiro filho está a caminho, e eu sinto aquelas mesmas dúvidas de quando era mãe de primeira viagem: será que vou conseguir, será que dou conta, será que vou ser boa mãe, será que vou amá-lo? Dúvidas que se multiplicam por cada filho que tenho: será que vou continuar amando os outros, será que vou ter tempo para os maiores, será que vou dar conta de dar atenção para todo mundo, será que cada um vai se sentir amado?


Alguns sonhos/projetos que estava pretendendo dar andamento agora que Serginho e Aninha estão maiores serão adiados novamente. Tenho alguns meses para me preparar, pois o bebê só chega em outubro. Até lá tenho mudanças para encarar. Um dia de cada vez, vou tentando lidar com esse turbilhão de emoções que é uma gravidez. Assim, para eu não enlouquecer.




Topo