Balanite, você sabe o que é?



Serginho nos últimos dias resolveu tomar banho junto com o pai, disse-me que já não era mais um bebezinho, queria tomar banho com ele e não precisava da ajuda da mamãe para lavar o pinto. Achei ótimo, afinal fiquei com menos uma tarefa e mais interação dele junto com o pai.

Só que na última segunda ao vestir o uniforme da escola nele, levei um susto, o pinto estava inchado e vermelho. Perguntei se doía ao fazer se xixi e resposta foi negativa. Pensei logo, foi algum bichinho que mordeu. Mas Sérgio preocupadíssimo, resolveu leva-lo ao pediatra.

Serginho estava com balanite, que é inflamação da glande (cabeça do pênis), e quando o prepúcio (pele que reveste a glande) também é afetado isso é chamado balanopostite. A médica nos tranquilizou dizendo que é normal acontecer isso em crianças por causa do habito de não lavar as mãozinhas antes do xixi. Ela nos disse que tanto a limpeza não adequada como também a higiene excessiva na genital com sabão pode ser um forte fator contribuidor para a balanite.

Bebês podem ter a balanite ainda usando fraldas, e ela deve ser distinguida da vermelhidão normal causada por dermatite amoniacal. Parece que a circuncisão (cirurgia usada para retirar o prepúcio, muito difundida entre os judeus) protege o homem das balanites por facilitar a higienização do pênis. As balanites podem resultar de fatores irritantes à glande (uso de certos sabonetes, pomadas, contato com alguns tipos de tecidos) ou de infecção decorrente da presença de microrganismos (bactérias, vírus, fungos). O acúmulo desses microrganismos juntamente com restos celulares provenientes da descamação, sob o prepúcio, forma o chamado esmegma, espécie de sebo que é decomposto por bactérias adquirindo mau cheiro. Este esmegma, em contato com a pele da glande, promove a inflamação por ser uma substância irritante.



O tratamento das balanites depende da causa da inflamação. Balanites infecciosas são tratadas com uso de antibióticos e antifúngicos, associados a orientações de higienização adequada. Nestes casos, é fundamental o tratamento da parceira para erradicar eficientemente a doença. A circuncisão é uma opção, por facilitar a higienização e, assim, proteger o indivíduo. O tratamento indicado para Serginho foi uso de antibiótico, e lavagem com sabonete dermacyd infantil e aplicação de antisséptico.

E a limpeza de sempre, onde o principal cuidado é evitar acúmulo de sujeira na glande, a cabeça do pênis. Nessa região, ocorre a produção de uma secreção sebácea chamada esmegma, que vai se acumulando e deve ser retirada na hora do banho. Só que, como a glande fica encoberta, é necessário lembrar o menino de retrair a pele que a cobre - o prepúcio - puxando-a delicadamente para trás.


Fonte:




Postagem mais recente Postagem mais antiga